domingo, 26 de outubro de 2014

A Outra História Americana (American History X)

Ficha Técnica

Ano: 1998
Direção: Tony Kaye
Roteiro: David Mckenna
Gênero: Drama/Policial
Duração: 119 minutos
Elenco: Edward Norton, Edward Furlong, Beverly D'Angelo...


Cena do filme "A Outra Hstória Americana" de Tony Kaye
                           

Existem filmes que somente pela sua temática já seriam relevantes, porém quando ela é apresentada de forma profunda e poderosa, eles se tornam diferenciados, e esse é o caso de “A Outra História Americana”.

O filme narra a história de Derek Vinyard (Edward Norton), o carismático líder de uma gangue racista que é preso por cometer um brutal assassinato. Após cumprir sua pena, arrependido do seu legado e determinado em mudá-lo, Derek percebe que deve salvar seu irmão Danny (Edward Furlong) de seguir o mesmo caminho.

Tecnicamente o filme é competente, destacando–se a fotografia preta–e–branca que combina perfeitamente com o passado obscuro do protagonista, a edição que utiliza flashbacks de maneira equilibrada, sem confundir desnecessariamente o público e contribuindo para a compreensão dos sentimentos dos personagens, além da direção segura e eficaz.

Entretanto, o que eleva o filme da mediocridade é o seu roteiro, que é muito bem trabalhado e que ganha intensidade devido às atuações convincentes do elenco, enfatizando o bom desempenho de Edward Furlong (o jovem John Connor de “O Exterminador do Futuro 2”) e, obviamente, o de Edward Norton, que comprovou, definitivamente, que é um ator de enorme talento e um dos melhores da sua geração. Sua atuação como Derek é impressionante, suas cenas conseguem transpassar emoção de forma extremamente genuína. Desse modo, Norton consegue criar um personagem marcante que sofre uma transformação comportamental tão radical que somente um ator com talento nato poderia representá-la de maneira tão realista e comovente. 

Ainda que não seja uma obra-prima, o filme se destaca pela força de sua atuação principal e por tratar com extrema competência um tema que está cada vez mais evidenciado, seja pelos conflitos intermináveis no Oriente Médio ou pelos atos de preconceito que ainda persistem nos cotidianos das sociedades, o ódio pelo diferente. E é esse sentimento que move a humanidade, a passos largos, rumo à discórdia, aos conflitos e à autodestruição. 

É um filme que convida o espectador a refletir sobre a natureza e, principalmente, as consequências do ódio na vida das pessoas, transmitindo uma mensagem simples que todos conhecem, mas esquecem o seu significado prático, e que é proferida por um dos personagens do filme em um final impactante: “O ódio é uma bagagem. A vida é muito curta para se estar irritado o tempo todo. Simplesmente não vale a pena... Não somos inimigos, mas amigos. Não devemos ser inimigos...”. Nada mais urgente.

Por Vitor Costa

14 comentários:

  1. Cara, eu amo esse filme <3
    A estética dele (sim, eu sou uma pessoa extremamente visual) é fantástica. As jogadas de direção (com destaque para a cena do assassinato que Derek comete) são incríveis. Não que o roteiro não seja.
    Lembro de ter ficado particularmente impressionada com aquele senhor que funciona meio que como o "cérebro" dos jovens neo-nazistas. E com aquele jantar em que o protagonista discute com o namorado da mãe, lembra disso? Aquela cena é foda.
    Sua resenha está 10, Vitor!
    E agora uma pergunta pessoal: vc ta na faculdade? kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Mari, você ressaltou muito bem, as jogadas de direção são excelentes e a cena do assassinato é brutal sem ser explícita.
      Lembro da cena do jantar sim... Eu revi o filme há pouco tempo, então as cenas estão meio frescas ainda na minha mente rs. É impressionante e, ao mesmo tempo, repulsivo o modo como Derek expressa todo o seu ódio sobre o namorado judeu da mãe dele, em uma clara demonstração de preconceito enraizado.
      Obrigado pela nota Mari, muito gentil da sua parte rsrs Terminei minha faculdade há mais ou menos dois meses, fiz engenharia, mas percebi que não tem nada a ver comigo :-( Qual o motivo da pergunta? rs

      Excluir
  2. Sua resenha está tão perfeita, mas tão perfeita, que apesar de ser um dos meus filmes favoritos eu tinha "me esquecido" de detalhes que você descreveu tão maravilhosamente bem que só recordei agora hahahaha!

    Parabéns, mandou muito <3


    Hell ;*


    www.faroestemanolo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras Hell. Também é um dos meus filmes favoritos e fico feliz de saber que meu texto te fez recordar desses detalhes ;-)

      Beijos

      Excluir
  3. Boa resenha, Vitor! Não faz muito tempo que vi esse filme, e achei-o sensacional.. e muito impactante, do início ao fim.
    Ele nos passa uma grandiosa mensagem que rebaixa o ódio e o preconceito, enaltecendo as terríveis consequências que os mesmos podem acarretar na vida das pessoas.. sobretudo no trágico desfecho, que me surpreendeu bastante.
    Devo concordar que a temática abordada está cada vez mais evidenciada nos dias de hoje.. em suma, é um filme recomendadíssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Vane, concordo com suas palavras... É um filme corajoso que mostra a realidade sem "maquiagens". O desfecho trágico torna o filme inesquecível e permanece pulsando na memória por muito tempo. Além disso, ele continua atual mesmo passados 16 anos de seu lançamento.

      Excluir
  4. Preciso urgentemente ver esse filme, agoraaaaa hahaha
    Parece ser realmente muito bom porque o que vemos hoje na sociedade é o medo do diferente, a vontade de não ver ninguém feliz fora dos padrões da sociedade. Vou ver se consigo assistir ainda esse fim de semana heheh

    Abraços, Guilherme
    http://omeu-diva.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista mesmo Guilherme, certamente você não irá se arrepender. É um filme que vale muito a pena, que faz a gente refletir acerca da nossa realidade. É como um olhar para dentro de nós mesmos e dos nossos preconceitos camuflados.

      Abraço e obrigado pela visita :-)

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre eu não assisti a esse filme! Hahahaha, mas acho que só de ler o teu blog tenho sentido uma atração sem igual pelas telas de cinema, sério. Virou uma rotina de fim de semana fazer maratona de filmes - esse entrou na lista.
    Você escreve muito bem, Vitor, e sei que sabe disso. Riqueza de detalhes, pontuação bem colocada, tudo perfeito. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que desperto essa atração por filmes em você Carol!!
      Assista mesmo, garanto que vale a pena ;-)
      Obrigados pelos elogios querida.
      Beijos

      Excluir
  7. Que ótima a sua resenha, Vitor! Queria poder escrever tão bem quanto você, sem ficar louca pra dar spoiler HAHAHA Adorei. Não é meu gênero de filme, mas depois dessa resenha eu leria. Mil beijos.
    http://www.canseidesernerd.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Erika. Me deu uma vontade de comentar sobre os spoilers, mas tive que me segurar haha Fico feliz em saber que minha resenha despertou sua vontade de ver o filme, essa era minha intenção: mostrar como o filme é interessante sem entregar pontos cruciais da trama. Espero que realmente o assista e volte para dizer o que achou ;-)
      Beijos Erika e seja muito bem-vinda!!

      Excluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir